VILÕES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

O maior vilão do setor de construção é, sem dúvida nenhuma, o desperdício que pode ocorrer de várias formas, como tempos ociosos de mão de obra e de equipamentos devido à falta de planejamento para a sinergia entre as atividades, retrabalho em serviços mal executados, descarte de materiais em boas condições junto com outros resíduos, etc.

As diversas causas podem ser a falta de treinamento dos colaboradores, falhas de comunicação entre as equipes, aquisições de materiais visando apenas o melhor preço, erros no processo seletivo para contratação, prejuízos por erros de contratos e atrasos na execução dos serviços, ou seja, uma série de defeitos de gestão empresarial.

Destaca-se também os vícios de construção que necessitam de reparo na fase pós entrega da obra, gerando custos não planejados e deterioração da imagem da empresa devido à insatisfação dos clientes.

CULTURA DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO BRASIL

A cultura de construção civil no Brasil ainda se encontra atrasada em relação aos países mais desenvolvidos. Nestes países, o planejamento do projeto é a fase mais importante, na qual se despende o maior tempo possível tentando prever todas as etapas e os riscos envolvidos durante a execução do empreendimento.

Passam-se anos estudando a viabilidade técnica (o escopo do projeto, como construí-lo, quais materiais utilizar, que tipo de construção e técnica construtiva a ser aplicada, etc.), a viabilidade econômica (orçamento do projeto e como será financiado), a viabilidade social (quais benefícios ou impactos este projeto trará para a sociedade), o prazo de execução, o capital humano envolvido, a integração e comunicação entre as equipes de trabalho, as aquisições a serem feitas, a logística de construção, os possíveis riscos e soluções. Com isso, nestes países, a etapa de execução da obra acontece de forma muito mais rápida e em conformidade com aquilo que foi previsto.

No Brasil acontece, na maioria das vezes exatamente o contrário. Gasta-se alguns meses planejando o empreendimento e despende-se anos na sua execução. Dessa forma, surgem inúmeros problemas que não foram previamente estudados, que por sua vez, causam atrasos e aditivos no custo da obra. Todos estes problemas são, em grande parte, frutos de um planejamento mal feito.

Com o avanço tecnológico e o aumento da competição, esse quadro vem mudando e as empresas brasileiras do setor de construção civil estão se remodelando com foco na qualidade do planejamento e execução das obras.

QUALIDADE NO PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DA OBRA

Um componente essencial para que o projeto seja bem-sucedido é a qualidade. A qualidade envolve o atendimento das expectativas relacionadas ao projeto de construção civil, desde o uso dos materiais relacionados no memorial descritivo, contratação de corpo técnico competente e execução das etapas da obra dentro do cronograma físico-financeiro, isto é, respeitando o prazo pré-definido e a verba provisionada para a obra. É preciso estudar a interdependência das etapas e traçar a maneira mais eficaz e segura de executar a obra. Em outras palavras, a qualidade dos procedimentos de planejamento e execução, é o fator chave que leva ao sucesso do empreendimento e satisfação do cliente.

FALE CONOSCO!